Tendências de Consumo: Experiências Imersivas

No ultimo ano, os consumidores vivenciaram desde tours virtuais em museus e exposições a shows e espetáculos online, além claro, de usufruir de toda a rapidez e conveniência do consumo via canais digitais. Tal comportamento evoluiu para o que chamamos de experiências imersivas. Essas experiências podem se estender a diversos setores como esportes, turismo, games, livrarias, varejo de serviços, alimentos e de moda.


De acordo com o estudo Hype Cycle da consultoria internacional Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento em tecnologia, as experiências imersivas são uma das três grandes tendências da tecnologia. Uma experiência imersiva leva o consumidor para algo que ele jamais vivenciou, tornando o contato com a marca mais personalizado e único. Como o próprio nome indica, são estratégias que permitem ao consumidor uma nova visão de algo que talvez ele já conheça só que vivido de uma maneira diferente.


Destaco algumas destas experiências imersivas em diferentes segmentos, ativas no mercado:


1. O Boticário criou uma nova estratégia de vendas multicanal, com 'lojas de parede' em pontos estratégicos da cidade de São Paulo. Com uma estrutura que simula uma vitrine com foto, descrição e código dos produtos, a dinâmica da loja de parede funciona assim: ao escanear o QR Code do item desejado com a câmera do celular, o consumidor é direcionado para a plataforma de e-commerce, que já estará com o carrinho pronto para fechar a compra e realizar a entrega no endereço indicado com frete grátis.

Imagem: Propmark - loja disponível no terminal Rodoviário do Tietê e na linha 4 do Metrô SP.


2. A marca BeYoung lançou uma linha de cuidados que usa algoritmos para individualizar produtos que se adaptam à pele de cada consumidor de maneira individual e totalmente personalizável. Para isso, a empresa conta com um algoritmo dotado de inteligência artificial (IA) que analisa cada tipo de pele, chamado de Skin ID.


3. A Havaianas promete lançar um calçado produzido em cocriação com atletas paralímpicos brasileiros. O produto deve estar à venda em 2022 na Digital Flagship Store e nas lojas físicas e terá 7% da renda líquida das vendas revertidos para o CPB - Comitê Paralímpico Brasileiro.

Imagem: A atleta Edênia Garcia que participou da criação.


4. Com foco na terceira idade, a marca mineira Obabox aposta na proximidade com o público da terceira idade, para criar produtos de nicho como o ObaSmart - um celular criado para pessoas mais velhas. O aparelho traz uma interface adaptada com atalhos, botões, fontes grandes, cores destacadas e até um botão de SOS, que alerta contatos pré-cadastrados quando acionado.

Imagem: Ivo - Canaltech


5. A empresa de tintas Behr e o Spotify se uniram para ajudar os consumidores a visualizar as músicas através das cores e a comprar tintas inspirados pelo mood de diferentes músicas.

Imagem: Behr


A Gucci apresentou a Vault, um novo conceito de loja experimental, arquivo e plataforma online para promover novos estilistas e a criatividade.

Segundo a revista Bazaar, o espaço online é muitas coisas diferentes ao mesmo tempo: uma máquina do tempo, um arquivo, uma biblioteca, um laboratório e um ponto de encontro. Ele está em um estado de evolução contínua, refletindo a paixão de Michele pela experimentação, apresentando peças de arquivo restauradas e customizadas ao lado de criações de designers emergentes por meio de um formato editorial.

Imagem: Gucci Vault


Sabemos que empreender é lidar com incertezas, razão pela qual, escolher um caminho certo se torna ainda mais desafiador. No entanto, quando nos atualizamos dos comportamentos e das mudanças nas formas de consumo, é possível extrair um termômetro que pode direcionar as marcas a aplicar esses pontos para um caminho de inovação.


O varejo deve ficar atento às mudanças no seu modelo de negócios. É através desse olhar que as marcas são bem vistas, uma vez que conseguem expandir seus horizontes e entregar produtos e serviços únicos e com real valor para o seu público. Segundo estudo da desenvolvedora Unity Technologies, empresas que abraçarem experiências imersivas nos próximos cinco anos estarão entre as 25% empresas com melhores resultados financeiros em suas categorias. Para isso, você precisa pesquisar novos comportamentos, transformar o seu olhar, buscar tendências e fazer conexões que estejam alinhadas com os seus valores de marca. E claro, saber como aplicar esses pontos ao seu negócio, sem medo de experimentar.


Os consumidores anseiam por marcas com menos discursos e mais ações. Uma ótima oportunidade de sair na frente e criar produtos realmente inovadores e conectados com o seu consumidor.


Um abraço!

Chris Corcino

Consultora de Negócios de Moda


Fonte: wgsn, site das marcas e links citados na publicação.