• Chris Corcino

5 passos para uma boa exposição dos seus produtos no PDV

Você já parou para pensar quantos produtos diferentes estão expostos na sua loja? São muitos não é? Eu posso imaginar!

O conceito básico da exposição de produtos é mostrar ou destacar algo. Para o PDV, mostrar produtos também significa comunicar sobre a marca. E é por essa razão que a exposição deve ser o mais acertada possível.

O produto em exposição deve atrair, seduzir, despertar os sentidos e mexer com a emoção do consumidor. Criar no ponto de venda um ambiente envolvente e voltado às necessidades do consumidor faz parte das técnicas do Visual Merchandising.

Visual merchandising é a junção de inúmeras técnicas de marketing que usa a comunicação visual, trazendo vida ao produto no ponto de venda tronando-o protagonista. Esse processo envolve todos os aspectos do ambiente de varejo. O VM é um fator primordial quando observamos o sucesso ou o fracasso de uma loja de varejo, uma vez que é um incentivo à compra de um produto ou serviço a partir de uma exposição, onde se aproveita o momento de atenção do consumidor. E, se é necessário somente 5 segundos para atrair a atenção do consumidor para entrar ou não na sua loja, a sua exposição de produtos deve ser muito bem executada.



Toda e qualquer ação ou influência promocional usada no ponto de venda que proporcione informação e melhor visibilidade promovendo os produtos, marcas ou serviços com o propósito de motivar ou influenciar as decisões de compra dos consumidores, pode e deve ser usada de forma positiva.

São muitas as técnicas de exposição. Mas, compartilho aqui 5 passos básicos para que você torne dinâmica e produtiva a sua exposição de produtos no PDV.

1. Organização Visual





Fique atento à “bagunça” visual no seu ambiente de loja. Verifique todos os espaços após cada venda ou grupo de vendas realizados.

Manter a “casa em ordem” visualmente, permite que os próximos potenciais clientes sintam a mesma experiência que todos os anteriores e compartilhem da mesma sensação de conforto visual. Se o seu espaço permitir, organize por categorias, grupos ou cores. Um PDV fora de ordem pode ter perdas consideráveis no resultado de vendas.

A gigante japonesa Uniqlo é referência em organização visual.


 2.  Não duvide do poder da luz

Agimos como insetos atraídos por uma lâmpada. Ignoramos o que está na penumbra, mas não conseguimos resistir à luz! Um produto iluminado atrai o olhar, capta a atenção do cliente e produz uma percepção de valor ainda mais elevado.

Lembre-se de que, a iluminação deve ser utilizada a favor da sua loja. Por essa razão, os diferentes tipos de sistemas de iluminação, devem ser pensados e distribuídos estrategicamente a fim de agregar valor aos produtos. Você já sabe que, as repetições geram monotonia e variar o sistema de iluminação nos diferentes ambientes da loja ajuda a quebrar a mesmice. Trabalhar estrategicamente a iluminação de loja faz toda a diferença no visual dos produtos.

Ambiente da Topman onde a luz se torna uma ferramenta estratégica e com grande potencial de vendas.


3. Ensine o cliente a usar o produto

Não entregue a função de solucionar o problema do cliente às revistas de moda. Elas auxiliam mas não realizam a venda no seu PDV. Ensine, oriente, ajude-o a utilizar seu produto nos manequins, books, araras ou com o auxílio da equipe de vendas. E, você ainda pode utilizar o recurso do cross merchandising a favor da sua venda. Ensine sobre o uso e promova opções.

Manequim com look sugerido orienta sobre as possibilidades de uso. Já a bolsa na mesa é o cross merchandising. Técnica que gera interesse de compra quando o cliente estiver comprando outro item.


4. Destaque e valorize

Não trate o seu produto de R$ 500,00 como se ele custasse R$ 5,00. Desse modo, você tira dele não somente o valor econômico mas, sobretudo, o valor de sedução. Não menospreze o poder de uma boa exposição. Invista em expositores e displays e você verá que o custo desse investimento será bem menor que o retorno em vendas e em valor para a sua marca.

Diesel Store em Berlin. Exposição correta e adequada valoriza cada item da marca.


5. Conte uma história

Nascemos programados para gostar de histórias. Histórias encantam e envolvem. Deixe o ambiente da loja mais aconchegante, ofereça espaços ou serviços que faça o cliente esquecer que está em uma “loja”. Conte a história da marca em displays, use cores adequadas, iluminação, cause emoções. Produtos acabam e lembranças são para sempre!

Benjamin em Higienópolis/SP e o seu storytelling contato aos clientes de forma emocionante.


OUTRAS DICAS:

Para tornar a exposição ainda mais adequada, lance mão dos pontos focais. Eles podem ser o campo visual mais forte da sua vitrine ou interior de loja. A composição visual deve ser estabelecida por você ou pelo Visual Merchandiser da sua empresa de acordo com a categoria de produtos. Por exemplo: Para vitrines, o ângulo de visão das pessoas está entre 60 cm e 1,80 m para os objetos expostos.

O corpo humano usa a lei do mínimo esforço na tentativa de economizar energia e qualquer produto que não esteja “acessível” corre o risco de não ser o favorito na hora de decisão de compra.

Importância dos pontos focais nas vitrines e ambientes internos de loja.


O Visual Merchandising é um processo que se estende desde o conceito até a finalização da exposição do produto e tem como propósito criar uma identidade, formando um elo de conexão entre marca e consumidor. Usar as técnicas como ferramentas para melhorar a exposição dos seus produtos, é uma ação eficaz e que traz resultados positivos e imediatos nas vendas.

Imagens: Reprodução – Via Google